0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Nesta terça-feira (23) a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que reformula o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), criado durante a pandemia para socorrer empresas em dificuldades financeiras. A decisão foi celebrada por uma comitiva potiguar e representantes da hotelaria nacional mobilizados pela ABIH Nacional e seu presidente, Manoel Linhares. Para a categoria, a aprovação representa um passo significativo para a retomada do crescimento e da competitividade do turismo no estado e no país.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN), Abdon Gosson, a aprovação para a permanência da medida foi crucial para a preservação de milhares de empregos e para a recuperação do setor turístico, um dos mais afetados pela pandemia.

Sobre o PERSE:

O PERSE, criado durante a pandemia, oferece benefícios fiscais e incentivos à modernização da infraestrutura hoteleira potiguar, incluindo a redução da carga tributária, desburocratização de processos e facilitação do acesso ao crédito. A equipe econômica do governo federal inicialmente planejava encerrar os benefícios imediatamente, mas teve que ceder ao Congresso e propor uma extinção gradual, prevista agora para 2027, com um custo limitado a R$ 15 bilhões.

A nova configuração do PERSE, que agora segue para análise do Senado, limita o acesso aos incentivos às empresas do setor de eventos cuja atividade principal esteja cadastrada em um dos CNAEs previstos em lei, reduzindo o número de atividades elegíveis de 44 para 30. Além disso, empresas criadas após a pandemia não terão acesso aos benefícios.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Setor hoteleiro do RN celebra aprovação do Projeto de Lei PERSE na Câmara dos Deputados



Nesta terça-feira (23) a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que reformula o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), criado durante a pandemia para socorrer empresas em dificuldades financeiras. A decisão foi celebrada por uma comitiva potiguar e representantes da hotelaria nacional mobilizados pela ABIH Nacional e seu presidente, Manoel Linhares. Para a categoria, a aprovação representa um passo significativo para a retomada do crescimento e da competitividade do turismo no estado e no país.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN), Abdon Gosson, a aprovação para a permanência da medida foi crucial para a preservação de milhares de empregos e para a recuperação do setor turístico, um dos mais afetados pela pandemia.

Sobre o PERSE:

O PERSE, criado durante a pandemia, oferece benefícios fiscais e incentivos à modernização da infraestrutura hoteleira potiguar, incluindo a redução da carga tributária, desburocratização de processos e facilitação do acesso ao crédito. A equipe econômica do governo federal inicialmente planejava encerrar os benefícios imediatamente, mas teve que ceder ao Congresso e propor uma extinção gradual, prevista agora para 2027, com um custo limitado a R$ 15 bilhões.

A nova configuração do PERSE, que agora segue para análise do Senado, limita o acesso aos incentivos às empresas do setor de eventos cuja atividade principal esteja cadastrada em um dos CNAEs previstos em lei, reduzindo o número de atividades elegíveis de 44 para 30. Além disso, empresas criadas após a pandemia não terão acesso aos benefícios.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos