Imagem Foto: Alberto Leandro

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Durante a 187° Plenária Nacional do Sindicato Nacional dos Servidores Federais na Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), em Brasília, os servidores dos Institutos Federais do Rio Grande do Norte (IFRN) aprovaram indicativo de greve para o próximo dia 3 de abril.

A principal reivindicação dos servidores é a recomposição salarial de 34,22% para os técnicos da carreira do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação (PCCTAE) e 22,71% para os docentes da carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT). No último dia 07, servidores do IFRN votaram pela adesão do estado de greve.

Até o momento, única proposta apresentada pelo Governo Federal inclui apenas o aumento de alguns benefícios a partir do mês de maio: elevar o auxílio-alimentação de R$ 658,00 para R$ 1.000,00; elevar o per capita saúde (“auxílio-saúde”) do valor médio de R$ 144,00 para 215,00; elevar o auxílio-creche de R$ 321,00 para R$ 484,90.

Está previsto para o próximo dia 29, uma resposta vinda do ministro da educação, Camilo Santana, sobre a adesão da greve nacional por parte dos técnicos. 

Francisco Dias, ocupante da pasta de formação política do Sinasefe seção Natal, comenta que a greve vai depender do retorno do ministro. “Se o retorno não for favorável para nós, dia 03 [de abril] estaremos deflagrando a greve”, pontua.

Dias ainda destaca a importância da mobilização da categoria dos servidores dos IFs para fortalecer a luta pela reestruturação da carreira: “A gente precisa se mobilizar e organizar toda a categoria da educação para lutar, visando a nossa qualidade de vida e também para garantir a permanência dos servidores”, argumenta.

Francisco chegou a ressaltar que as reivindicações servem também para evitar a evasão dos profissionais dos IFs, especialmente os da área técnica, que, diante das dificuldades salariais, passam a buscar outros concursos ou mesmo a iniciativa privada como alternativa.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Servidores dos IFs aprovam indicativo de greve em Assembleia Geral



Durante a 187° Plenária Nacional do Sindicato Nacional dos Servidores Federais na Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), em Brasília, os servidores dos Institutos Federais do Rio Grande do Norte (IFRN) aprovaram indicativo de greve para o próximo dia 3 de abril.

A principal reivindicação dos servidores é a recomposição salarial de 34,22% para os técnicos da carreira do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação (PCCTAE) e 22,71% para os docentes da carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT). No último dia 07, servidores do IFRN votaram pela adesão do estado de greve.

Até o momento, única proposta apresentada pelo Governo Federal inclui apenas o aumento de alguns benefícios a partir do mês de maio: elevar o auxílio-alimentação de R$ 658,00 para R$ 1.000,00; elevar o per capita saúde (“auxílio-saúde”) do valor médio de R$ 144,00 para 215,00; elevar o auxílio-creche de R$ 321,00 para R$ 484,90.

Está previsto para o próximo dia 29, uma resposta vinda do ministro da educação, Camilo Santana, sobre a adesão da greve nacional por parte dos técnicos. 

Francisco Dias, ocupante da pasta de formação política do Sinasefe seção Natal, comenta que a greve vai depender do retorno do ministro. “Se o retorno não for favorável para nós, dia 03 [de abril] estaremos deflagrando a greve”, pontua.

Dias ainda destaca a importância da mobilização da categoria dos servidores dos IFs para fortalecer a luta pela reestruturação da carreira: “A gente precisa se mobilizar e organizar toda a categoria da educação para lutar, visando a nossa qualidade de vida e também para garantir a permanência dos servidores”, argumenta.

Francisco chegou a ressaltar que as reivindicações servem também para evitar a evasão dos profissionais dos IFs, especialmente os da área técnica, que, diante das dificuldades salariais, passam a buscar outros concursos ou mesmo a iniciativa privada como alternativa.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos