Imagem Foto: Reprodução

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Após 36 dias de paralisação, os servidores da saúde em Parnamirim decidiram suspender a greve, segundo informou o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindisaúde/RN). A decisão foi tomada em uma assembleia realizada nesta segunda-feira (13), motivada por avanços significativos nas negociações com a administração municipal, embora algumas reivindicações importantes ainda permaneçam em aberto.

Durante o movimento grevista, os profissionais conquistaram alguns avanços, incluindo o pagamento separado do complemento da enfermagem, a convocação de cadastro reserva do último concurso público, a atualização da progressão de nível paralisada desde 2019, revisão dos plantões extras e a promessa de criação de uma mesa SUS com poder deliberativo, que deve ser implementada nos próximos 60 dias. Além disso, foi acordada a implementação do programa Previne Brasil com valores igualitários para todas as categorias da saúde.

No entanto, questões cruciais ainda carecem de resolução, como a reposição de perdas salariais, estimadas em 27%, e a extensão da gratificação de produtividade, atualmente restrita aos médicos. Para discutir esses temas pendentes, audiências públicas estão agendadas para o dia (20) de maio, sobre o Plano de Cargos dos trabalhadores, e uma outra no dia (21) de maio com o Ministério Público.

“A greve revelou a grave situação na UPA de Nova Esperança, com escassez de insumos e equipamentos danificados, além de problemas estruturais significativos. Apresentamos a necessidade urgente de construir uma nova UPA e um hospital para atender melhor a população de Parnamirim”, detalha Breno Abbott, representante do Sindisaúde/RN.

Durante o período de greve, os trabalhadores intensificaram suas ações com atos públicos, incluindo campanhas de conscientização e manifestações, buscando ampliar o suporte da comunidade local às suas reivindicações. Embora a greve tenha sido suspensa temporariamente, a luta por melhores condições de trabalho e justa compensação continua a ser um ponto central para os servidores da saúde de Parnamirim.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Servidores da Saúde de Parnamirim encerram greve após negociações parciais com Prefeitura



Após 36 dias de paralisação, os servidores da saúde em Parnamirim decidiram suspender a greve, segundo informou o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindisaúde/RN). A decisão foi tomada em uma assembleia realizada nesta segunda-feira (13), motivada por avanços significativos nas negociações com a administração municipal, embora algumas reivindicações importantes ainda permaneçam em aberto.

Durante o movimento grevista, os profissionais conquistaram alguns avanços, incluindo o pagamento separado do complemento da enfermagem, a convocação de cadastro reserva do último concurso público, a atualização da progressão de nível paralisada desde 2019, revisão dos plantões extras e a promessa de criação de uma mesa SUS com poder deliberativo, que deve ser implementada nos próximos 60 dias. Além disso, foi acordada a implementação do programa Previne Brasil com valores igualitários para todas as categorias da saúde.

No entanto, questões cruciais ainda carecem de resolução, como a reposição de perdas salariais, estimadas em 27%, e a extensão da gratificação de produtividade, atualmente restrita aos médicos. Para discutir esses temas pendentes, audiências públicas estão agendadas para o dia (20) de maio, sobre o Plano de Cargos dos trabalhadores, e uma outra no dia (21) de maio com o Ministério Público.

“A greve revelou a grave situação na UPA de Nova Esperança, com escassez de insumos e equipamentos danificados, além de problemas estruturais significativos. Apresentamos a necessidade urgente de construir uma nova UPA e um hospital para atender melhor a população de Parnamirim”, detalha Breno Abbott, representante do Sindisaúde/RN.

Durante o período de greve, os trabalhadores intensificaram suas ações com atos públicos, incluindo campanhas de conscientização e manifestações, buscando ampliar o suporte da comunidade local às suas reivindicações. Embora a greve tenha sido suspensa temporariamente, a luta por melhores condições de trabalho e justa compensação continua a ser um ponto central para os servidores da saúde de Parnamirim.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos