Rota do Sol – avenida Engenheiro Octávio Tavares

Seguindo nosso roteiro por nomes de ruas e pontes da capital potiguar, vamos hoje até a avenida Engenheiro Octávio Tavares, a Rota do Sol. Realizei a pesquisa como membro do Instituto IAPHACC, juntamente com moradores da comunidade de Pirangi do Norte/Pium, na cidade de Parnamirim. As informações que recebemos relatam que a primeira estrada de Natal a Pirangi do Norte, foi aberta por um engenheiro da prefeitura de Natal, chamado Octávio Tavares.

Claro, partimos na busca de saber mais sobre este homem. Quem era Octávio Tavares? Filho do coronel Olímpio Tavares e Amélia Augusta, nasceu na cidade de Recife/PE, em 06 de setembro de 1897. Ele se casou com Dulce da Silva Pereira Palma Tavares com quem teve seis filhos. Formou-se na Ohio Northern University, na cidade de Ada, Estados Unidos, em 1920, onde adquiriu três diplomas: engenheiro civil, engenheiro arquiteto e engenheiro eletrotécnico.

Chegou a Natal recém-formado, no início da década de 1920, para gerenciar e operar as reformas na rede de captação de águas pluviais no bairro da Ribeira. Ao continuar na cidade, atuou junto ao poder público e ao clero, realizando gratuitamente reformas nas igrejas. 

Um de seus mais importantes projetos foi o da nova catedral, elaborado também na década de 1920, com detalhes neogóticos. A localização era prevista na antiga praça Pio X, na Cidade Alta, onde hoje se encontra a Catedral Metropolitana de Natal. O projeto não foi fundado no endereço devido aos altos custos da obra.

Já em 1928, Octávio foi convidado para dirigir as obras empreendidas pelo recém-criado Departamento de Agricultura, Indústria, Comércio e Obras Públicas, através da portaria nº 701.

Além de sua participação em obras de infraestrutura urbana, atribui-se a Octávio Tavares a execução do edifício da Saúde Pública, situado na Junqueira Aires, Cidade Alta, um projeto do Arquiteto Giácomo Palumbo, além do projeto e execução do prédio da Alfândega, na Ribeira. Octávio atuou também como professor de matemática no Colégio Atheneu Norteriograndense durante vários anos.  

Em 1933, a questão do abastecimento de água em Natal foi levantada pelo engenheiro Octávio Tavares, que apresentou ao interventor federal Mário Câmara um relatório sobre condições desse abastecimento, indicando algumas medidas para o melhoramento do serviço. No informe, ele propôs a substituição da rede existente que se encontrava danificada por causa da precariedade dos canos já deteriorados. 

Das propostas de Tavares, seriam destacadas ainda a pequena barragem de 4,4 metros na lagoa Manoel Felipe, a pequena barragem da lagoa Seca, a instalação de grupos motor-bomba nestes pontos e a observação repetida das descargas e estudos pluviométricos.

Em Pirangi do Norte, Octávio Tavares construiu, além da estrada Natal-Pirangi, diversas obras públicas, dentre elas, a construção de um cacimbão no local onde hoje funciona a sede dos Correios e Telégrafos. 

A denominação da avenida Engenheiro Octávio Tavares, foi iniciada na reunião ordinária do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA/RN, de nº 610, em 2013 e foi aprovada por unanimidade de votos, em sessão presidida por Modesto Ferreira dos Santos Filho.

Eu, Ricardo da Silva Tersuliano, estava neste grande momento, como fundador e presidente do Instituto IAPHACC. Junto comigo na proposição, estavam João Maurício Fernandes de Miranda, arquiteto, e Aurélio Tavares Marinho, neto de Octávio Tavares.

Mais tarde, o projeto de lei nº 406/2021, processo nº 3776/2021 foi apresentado e aprovado na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, pelo deputado Gustavo Carvalho e sancionado pela governadora Fátima Bezerra. O projeto foi transformado na lei 11.294, de 14 de dezembro de 2022.

O trecho da RN 063, que compreende o entroncamento da RN-063 com a Rua Alfredo Dias de Figueiredo até a Praia de Pirangi do Norte, no Município de Parnamirim/RN, foi denominado Rota do Sol – avenida Engenheiro Octávio Tavares. A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado – DOE, sob o nº. 15.325 do dia 15/12/2022, na página 4.

Trata-se de uma denominação ainda desconhecida, pela ausência de instalação de placas sinalizadoras pelo DETRAN/RN. Ação que exige celeridade por se tratar de uma das avenidas mais importantes de acesso ao litoral sul potiguar.

Fonte: Livro …antes que a memória se apague – João Maurício Fernandes de Miranda, e entrevistas pessoalmente com o autor. 


4 1 Avalie a Postagem
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos





O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte


Rota do Sol – avenida Engenheiro Octávio Tavares

Seguindo nosso roteiro por nomes de ruas e pontes da capital potiguar, vamos hoje até a avenida Engenheiro Octávio Tavares, a Rota do Sol. Realizei a pesquisa como membro do Instituto IAPHACC, juntamente com moradores da comunidade de Pirangi do Norte/Pium, na cidade de Parnamirim. As informações que recebemos relatam que a primeira estrada de Natal a Pirangi do Norte, foi aberta por um engenheiro da prefeitura de Natal, chamado Octávio Tavares.

Claro, partimos na busca de saber mais sobre este homem. Quem era Octávio Tavares? Filho do coronel Olímpio Tavares e Amélia Augusta, nasceu na cidade de Recife/PE, em 06 de setembro de 1897. Ele se casou com Dulce da Silva Pereira Palma Tavares com quem teve seis filhos. Formou-se na Ohio Northern University, na cidade de Ada, Estados Unidos, em 1920, onde adquiriu três diplomas: engenheiro civil, engenheiro arquiteto e engenheiro eletrotécnico.

Chegou a Natal recém-formado, no início da década de 1920, para gerenciar e operar as reformas na rede de captação de águas pluviais no bairro da Ribeira. Ao continuar na cidade, atuou junto ao poder público e ao clero, realizando gratuitamente reformas nas igrejas. 

Um de seus mais importantes projetos foi o da nova catedral, elaborado também na década de 1920, com detalhes neogóticos. A localização era prevista na antiga praça Pio X, na Cidade Alta, onde hoje se encontra a Catedral Metropolitana de Natal. O projeto não foi fundado no endereço devido aos altos custos da obra.

Já em 1928, Octávio foi convidado para dirigir as obras empreendidas pelo recém-criado Departamento de Agricultura, Indústria, Comércio e Obras Públicas, através da portaria nº 701.

Além de sua participação em obras de infraestrutura urbana, atribui-se a Octávio Tavares a execução do edifício da Saúde Pública, situado na Junqueira Aires, Cidade Alta, um projeto do Arquiteto Giácomo Palumbo, além do projeto e execução do prédio da Alfândega, na Ribeira. Octávio atuou também como professor de matemática no Colégio Atheneu Norteriograndense durante vários anos.  

Em 1933, a questão do abastecimento de água em Natal foi levantada pelo engenheiro Octávio Tavares, que apresentou ao interventor federal Mário Câmara um relatório sobre condições desse abastecimento, indicando algumas medidas para o melhoramento do serviço. No informe, ele propôs a substituição da rede existente que se encontrava danificada por causa da precariedade dos canos já deteriorados. 

Das propostas de Tavares, seriam destacadas ainda a pequena barragem de 4,4 metros na lagoa Manoel Felipe, a pequena barragem da lagoa Seca, a instalação de grupos motor-bomba nestes pontos e a observação repetida das descargas e estudos pluviométricos.

Em Pirangi do Norte, Octávio Tavares construiu, além da estrada Natal-Pirangi, diversas obras públicas, dentre elas, a construção de um cacimbão no local onde hoje funciona a sede dos Correios e Telégrafos. 

A denominação da avenida Engenheiro Octávio Tavares, foi iniciada na reunião ordinária do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA/RN, de nº 610, em 2013 e foi aprovada por unanimidade de votos, em sessão presidida por Modesto Ferreira dos Santos Filho.

Eu, Ricardo da Silva Tersuliano, estava neste grande momento, como fundador e presidente do Instituto IAPHACC. Junto comigo na proposição, estavam João Maurício Fernandes de Miranda, arquiteto, e Aurélio Tavares Marinho, neto de Octávio Tavares.

Mais tarde, o projeto de lei nº 406/2021, processo nº 3776/2021 foi apresentado e aprovado na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, pelo deputado Gustavo Carvalho e sancionado pela governadora Fátima Bezerra. O projeto foi transformado na lei 11.294, de 14 de dezembro de 2022.

O trecho da RN 063, que compreende o entroncamento da RN-063 com a Rua Alfredo Dias de Figueiredo até a Praia de Pirangi do Norte, no Município de Parnamirim/RN, foi denominado Rota do Sol – avenida Engenheiro Octávio Tavares. A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado – DOE, sob o nº. 15.325 do dia 15/12/2022, na página 4.

Trata-se de uma denominação ainda desconhecida, pela ausência de instalação de placas sinalizadoras pelo DETRAN/RN. Ação que exige celeridade por se tratar de uma das avenidas mais importantes de acesso ao litoral sul potiguar.

Fonte: Livro …antes que a memória se apague – João Maurício Fernandes de Miranda, e entrevistas pessoalmente com o autor. 



4 1 Avalie a Postagem
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos