Imagem Reprodução/ internet

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

O Partido dos Trabalhadores (PT) de Ceará-Mirim lançou pré-candidatura à prefeitura, contudo a decisão veio dos dirigentes, sem consulta a base, que prefere se unir a oposição. A questão é saber quem seria o pré-candidato a apoiar, visto que na base partidária não há consenso entre a qual das outras pré-candidaturas dar arrimo.

O prefeito Júlio César (PSD) ofereceu a vice na chapa de seu pré-candidato Antônio Henrique, no entanto, há quadros do petismo que não querem saber de conversa com o mandatário, alegando que Júlio apoiou Jair Bolsonaro (PL) no pleito de 2022. Acontece que nenhum dos outros pré-candidatos pelo oposicionismo, o vice-prefeito Marcílio Dantas (PP), a ex-vereadora Jumaria Mota (PSB) e o ex-prefeito Peixoto (PDT) ofertaram as condições políticas que Júlio propôs.

Um outro senão para o PT é que a pré-candidatura do ex-vereador Renato Martins não animou a militância, e Renato segue com míseros 2% das intenções de votos na média das pesquisas.

Uma outra preocupação que ronda alguns petistas é que uma coligação com alguém da oposição prejudique a nominata à vereança da legenda. Além de oferecer a vaga de vice, o governismo se comprometeu em dar recursos políticos para o PT, enfim, fazer seu primeiro vereador na cidade.

Há vozes que começam a defender uma aliança com o grupo do alcaide, embaralhando ainda mais para qual direção o PT ceará-miriense deve seguir. A agremiação está dividida e talvez o diretório estadual, leia-se a governadora Fátima Bezerra (PT), tenha que intervir nas negociações local.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



PT de Ceará-Mirim tem confusão interna



O Partido dos Trabalhadores (PT) de Ceará-Mirim lançou pré-candidatura à prefeitura, contudo a decisão veio dos dirigentes, sem consulta a base, que prefere se unir a oposição. A questão é saber quem seria o pré-candidato a apoiar, visto que na base partidária não há consenso entre a qual das outras pré-candidaturas dar arrimo.

O prefeito Júlio César (PSD) ofereceu a vice na chapa de seu pré-candidato Antônio Henrique, no entanto, há quadros do petismo que não querem saber de conversa com o mandatário, alegando que Júlio apoiou Jair Bolsonaro (PL) no pleito de 2022. Acontece que nenhum dos outros pré-candidatos pelo oposicionismo, o vice-prefeito Marcílio Dantas (PP), a ex-vereadora Jumaria Mota (PSB) e o ex-prefeito Peixoto (PDT) ofertaram as condições políticas que Júlio propôs.

Um outro senão para o PT é que a pré-candidatura do ex-vereador Renato Martins não animou a militância, e Renato segue com míseros 2% das intenções de votos na média das pesquisas.

Uma outra preocupação que ronda alguns petistas é que uma coligação com alguém da oposição prejudique a nominata à vereança da legenda. Além de oferecer a vaga de vice, o governismo se comprometeu em dar recursos políticos para o PT, enfim, fazer seu primeiro vereador na cidade.

Há vozes que começam a defender uma aliança com o grupo do alcaide, embaralhando ainda mais para qual direção o PT ceará-miriense deve seguir. A agremiação está dividida e talvez o diretório estadual, leia-se a governadora Fátima Bezerra (PT), tenha que intervir nas negociações local.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos