Prefeito de João Câmara divide retroativo de professores em 24 parcelas e deixa dívida para próximo gestor
Imagem Prefeito de João Câmara deixa herança maldita para o próximo gestor

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Na manhã de ontem, servidores da Rede Municipal de Educação de João Câmara se reuniram em assembleia com o SINTE para cobrar da gestão municipal uma posição quanto ao retroativo do Piso do magistério de 2023.

A última proposta da Prefeitura Municipal era de pagar o devido em 36 parcelas, que foi negada por unanimidade na assembleia do dia 12 de março.

Durante a assembleia, que aconteceu na Praça Baixa-verde, o prefeito solicitou que uma comissão se reunisse com ele, o contador e os secretários de educação e de finanças para debater o assunto.

A proposta da gestão foi o parcelamento em 31 parcelas, enquanto o SINTE argumentava que fossem pagas em 18 meses.

Ao final, foi firmado o pagamento do retroativo do Piso do magistério de 2023 em 24 parcelas, que foi aprovado na assembleia. 

Foi aprovado também pela maioria, que o Sindicato teria uma mesa permanente de negociações para tentar reduzir as parcelas do pagamento.

A dívida da Prefeitura Municipal de João Câmara com os professores levanta questões quanto às dívidas públicas que serão assumidas pela próxima gestão.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Prefeito de João Câmara divide retroativo de professores em 24 parcelas e deixa dívida para próximo gestor



Prefeito de João Câmara divide retroativo de professores em 24 parcelas e deixa dívida para próximo gestor

Na manhã de ontem, servidores da Rede Municipal de Educação de João Câmara se reuniram em assembleia com o SINTE para cobrar da gestão municipal uma posição quanto ao retroativo do Piso do magistério de 2023.

A última proposta da Prefeitura Municipal era de pagar o devido em 36 parcelas, que foi negada por unanimidade na assembleia do dia 12 de março.

Durante a assembleia, que aconteceu na Praça Baixa-verde, o prefeito solicitou que uma comissão se reunisse com ele, o contador e os secretários de educação e de finanças para debater o assunto.

A proposta da gestão foi o parcelamento em 31 parcelas, enquanto o SINTE argumentava que fossem pagas em 18 meses.

Ao final, foi firmado o pagamento do retroativo do Piso do magistério de 2023 em 24 parcelas, que foi aprovado na assembleia. 

Foi aprovado também pela maioria, que o Sindicato teria uma mesa permanente de negociações para tentar reduzir as parcelas do pagamento.

A dívida da Prefeitura Municipal de João Câmara com os professores levanta questões quanto às dívidas públicas que serão assumidas pela próxima gestão.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos