Kyvia Mota

Dra Kyvia Mota






  • Fim de semana deve ser marcado por Sol e chuvas passageiras; confira


    Fim de semana deve ser marcado por Sol e chuvas passageiras; confira

    O fim de semana deve ser de Sol e chuvas passageiras na maior parte das regiões do Rio Grande do Norte. No sábado (10), a presença de Sol com muitas nuvens durante o dia, além de períodos nublados e chuva a qualquer hora marcam o tempo em Natal. No domingo (21), a previsão aponta para um tempo semelhante. A temperatura mínima é de 25 ºC e a máxima pode atingir até 30 ºC. As informações meteorológicas são do Portal Clima Tempo.

    Em Mossoró, na região Oeste do Estado, o fim de semana inicia com Sol e aumento de nuvens pela manhã neste sábado. Já à tarde e à noite estão previstas pancadas de chuva, que também são esperadas no domingo durante o mesmo período. A temperatura oscila entre 24 ºC e 31 ºC.

    Na cidade de Pau dos Ferros, Alto Oeste do Rio Grande do Norte, a expectativa para o sábado é de Sol com algumas nuvens e chuva passageira durante o dia. À noite o tempo fica firme. No domingo, deve ocorrer chuva de manhã e diminuição de nuvens à tarde, enquanto à noite promete pouca nebulosidade. A mínima fica em 23 ºC e a máxima pode chegar a 33 ºC.

    No Seridó Potiguar, a previsão para Currais Novos é de Sol e aumento de nuvens durante a manhã, somada a pancadas de chuva à tarde e à noite no sábado. Já no domingo, são esperadas chuvas passageiras e Sol com algumas nuvens. À noite o tempo fica firme. A temperatura alterna entre 23 ºC e 33ºC.


  • TJRN determina fim da greve dos profissionais de saúde em Natal


    TJRN determina fim da greve dos profissionais de saúde em Natal

    O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) determinou nesta quinta-feira (18) a suspensão imediata da greve dos trabalhadores da saúde em Natal, iniciada na última terça-feira (16).

    A decisão foi tomada pelo desembargador João Rebouças, dentro da ação cível nº 0804961-16.2023.8.20.0000, em resposta a um pedido de tutela antecipada em caráter incidental feito pelo Município de Natal.

    Apesar de reconhecer a validade das reivindicações dos trabalhadores, que incluem o cumprimento da data-base, o reajuste salarial e a implantação e pagamento retroativo de gratificações, a decisão enfatiza a situação crítica da saúde pública local, agravada por um surto de dengue.

    Além de ordenar a suspensão da greve, o desembargador João Rebouças recomendou que a Prefeitura de Natal, por meio da Secretaria de Saúde, busque negociar com os profissionais para resolver as questões em aberto.

    A decisão destacou, ainda, a importância de esforços conjuntos para “sanar a celeuma, a qual tem a população de Natal – sofrida, desassistida e cada vez mais órfã dos serviços públicos da saúde.”

    Caso a greve não seja suspensa, os sindicatos réus e seus dirigentes e grevistas estarão sujeitos ao pagamento de uma multa diária de R$ 5 mil, podendo chegar ao limite de R$ 100 mil, além de outras possíveis responsabilidades de ordem civil, criminal e administrativa.


  • Uma história do Cemitério dos Ingleses, na praia da Redinha


    Uma história do Cemitério dos Ingleses, na praia da Redinha

    Era preciso dar assento aos marinheiros que morriam em viagens mercantes ao passar por Natal e que não eram católicos. Assim nasceu o Cemitério dos Ingleses, à margem da Gamboa do Manimbu, na praia da Redinha.

    À época, a Guerra da Secessão nos Estados Unidos abrira à produção algodoeira do nordeste brasileiro perspectivas inéditas. Bruscamente o norte-rio-grandense começou a esquecer a cana-de-açúcar e a colher algodão, de mais fácil manejo e com mercados imediatos. O governo tentou obstar a monocultura estimulando a indústria açucareira ao conceder isenções para os engenho-centrais, origem das usinas tentaculares.

    Mas o algodão atraía como uma força magnética. Várias empresas inglesas e suíças estabeleceram-se em Natal. Rapazes louros, ágeis, robustos, alegres, invadiram a sonolência pacata da cidade. Entre 1867 e 1869, a John Ulrich Graf & Cia, compradora de algodão, açúcar e sal e vendedora de fazendas foi umas dessas. O escritório central ficava na rua do Comércio. A maioria dos empregados de Ulrick Graf eram suíços ou ingleses. Relacionavam-se com a sociedade natalense, mas a religião os distanciava muito. Eram todos protestantes, luteranos clássicos. Esses rapazes morreram como moscas durante a febre amarela e o cólera-morbo.

    Os empregados de Ulrick Graff foram os primeiros a serem enterrados no novo cemitério nas cercanias do que hoje chamamos de Redinha. Eles eram chamados de ingleses.

    Cascudo relata: “Conheci dona Ana Cordeiro Xavier de Brito, nascida em 28/05/1845, natalense de boa memória. Contou-me se recordar de um inglês bonito, de nome Gemmy, fazedor de habilidades de salão. Gemmy está enterrado no Cemitério dos Ingleses.

    “Já o dr. Augusto Leopoldo informara-me que um dos sócios de Ulrick Graff era Alfred Weber. Faleceu em Natal e também foi sepultado no Cemitério dos Ingleses.

    “Em julho de 1935 visitei demoradamente o cemitério. Espalhara-se a lenda de ouro enterrado pelos holandeses. Os túmulos foram arrebentados, e dispersos os esqueletos. A ferocidade ávida destruiu tudo. A cupidez analfabeta e sacrílega nada respeitou. Apenas li, no transepto duma cruz: Whmr Eckett”.


  • Franco favoritismo de Allysson Bezerra se deve a construção duma eficiente marca política distintiva  


    Franco favoritismo de Allysson Bezerra se deve a construção duma eficiente marca política distintiva  

    Por João Paulo Jales dos Santos*

    A Rede Resistência de Comunicação (93FM, Portal O Mossoroense e Nossa TV), em parceria com o Instituto DataVero, divulgou no último dia 16, a 1ª pesquisa eleitoral para à Prefeitura de Mossoró. Nos quatro cenários estimulados aferidos, o prefeito Allyson Bezerra (UB) lidera superlativamente, variando entre 68,71% e 74,17% de intenções de votos.

    A provável principal adversária do alcaide, ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP), pontua apenas entre 9,93% e 12,58% das intenções. Possíveis adversários de Bezerra, como a deputada estadual Isolda Dantas (PT), os vereadores Tony Fernandes (AVAN) e Zé Peixeiro (REP), e o ex-vereador Genivan Vale (PL), pontuam bem abaixo de dois dígitos da preferência eleitoral.

    Nesses pouco mais de 3 anos à frente do Palácio da Resistência, sede da municipalidade, Bezerra imprimiu um eficiente modelo político-midiático, em que comandou a seu bel-prazer os acontecimentos da cidade. A oposição não conseguiu erigir uma marca própria, estando ao reboque do burgomestre, o que explica a anestesia oposicionista no debate público.  

    Desde a eleição de 2020, os Rosados foram rapidamente acometidos pelo o encurralamento da cizânia popular que os aboletou do poder. A Mossoró pós-Rosado transpira uma profunda ressaca social contra a oligarquia. O alto patamar de aprovação popular de Bezerra se deve, em partes, a cólera nutrida pela família.  

    O burgomestre foi habilidoso ao captar a atmosfera de repulsa aos Rosados, construindo para si a imagem do responsável por livrar a cidade dum agrupamento visto como politicamente falido. Para os mossoroenses, Allyson representa uma nova era político-social-administrativa. Ao captar essa espécie de zeitgeist na sociedade, o alcaide bonificou sua imagem com a ebulição que calcifica seu nome.

    Outro fator crucial que faz o prefeito ser considerado imbatível na disputa municipal, é a narrativa extremamente funcional que ele criou. O engajamento que o prefeito tem em suas redes sociais é estrondoso, o que o tornou um fenômeno midiático. A narrativa do jovem de origem pobre, que ascendeu na vida pelos estudos, e virou prefeito respeitado, é uma credibilidade ímpar construída. Compreensível o porquê de na pesquisa DataVero, Allyson ter apenas 4,80% de rejeição, enquanto Isolda Dantas e Rosalba Ciarlini aparecem com 22,68% e 21,85% respectivamente.

    Qual o rumo que o oposicionismo buscará no cenário eleitoral desse ano? O desenho ainda não é inteligível. O rosalbismo está esfacelado. O petismo e o bolsonarismo não têm quadros atraentes, os lulistas e bolsonaristas preferem Allyson. O governante mantém o traço de independente que o beneficiou na municipal de 2020. Mesmo tendo uma tendência à direita, Allyson atrai diferentes segmentos político-sociais. Isso lhe foi fundamental em 2020, e em 2024 ganha uma amplitude superlativa.

    A essa altura do campeonato, a tendência aponta para que o mandatário escolha um vice de sua confiança, sem precisar ceder a grupos governistas na composição de sua chapa. Se em outubro se confirmar a supremacia eleitoral do governante, o desempenho do burgomestre tende a interferir nos eleitos para a Câmara Municipal, formando uma bancada com os já previamente selecionados pelo seu estafe para ocuparem os assentos do Legislativo.

    * Cientistas social e historiador pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).   


  • MPF recomenda que Câmara de Mossoró reconheça apoio ao golpe militar


    MPF recomenda que Câmara de Mossoró reconheça apoio ao golpe militar

    No marco dos 60 anos do golpe no Brasil, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou à Câmara Municipal de Mossoró, município do Rio Grande do Norte a realização de uma sessão para que se reconheça o erro histórico no apoio à implantação de uma ditadura civil militar. Para o MPF, a ausência de Justiça de Transição efetiva constitui omissão inconstitucional que favorece tentativas de golpe de Estado, sem do necessário que se reconheça que “os eventos ocorridos em 31 de março de 1964 não compuseram “movimento revolucionário”, mas sim um golpe militar que instaurou uma ditadura”.

    De acordo com a recomendação, na terceira sessão ordinária da Câmara Municipal de Mossoró, realizada no início de abril de 1964, parte dos vereadores requereram, oficialmente, voto de louvor, gratidão e confiança às Forças Armadas, endereçado ao General Artur da Costa e Silva, por terem supostamente “restaurado a pátria e o princípio da ordem e da lei” no Brasil.

    Na época, o requerimento fora aprovado unanimemente pelos então vereadores. Para o MPF, isso demonstrou o início da colaboração do Poder Legislativo local com o golpe militar. Após, a Câmara Municipal aprovou uma moção de congratulação e solidariedade ao general Humberto de Alencar Castelo Branco, eleito então Presidente da República, pelo Congresso Nacional, em 11 de abril de 1964.

    Na mesma sessão, o vereador Aldenor Pereira de Melo solicitou a cassação dos mandatos de suplentes de vereadores de Vivaldo Dantas e de outros legisladores, considerados como “comunistas”, em manobra acompanhada de perto pelos militares. No momento de justificar seu voto, o vereador considerou os colegas como “traidores da pátria” e que só foram impedidos graças ao “movimento revolucionário vitorioso”, como chamou o recente golpe militar. Na sessão seguinte, os vereadores foram cassados de fato.

    Para o procurador da República autor da recomendação, Emanuel de Melo Ferreira, o golpe militar não restaurou o princípio da lei e da ordem, mas, na verdade, instaurou uma ditadura que cometeu graves crimes contra a humanidade.

    O presidente da Câmara Municipal de Mossoró tem o prazo de 30 dias para responder ao MPF sobre o acatamento, ou não, da recomendação.


  • Petrobras cumpre etapa para obtenção de licença de perfuração de poços na Bacia Potiguar


    Petrobras cumpre etapa para obtenção de licença de perfuração de poços na Bacia Potiguar

    A Petrobras realizou uma simulação de vazamento de petróleo na Bacia Potiguar, no bloco de exploração POT-M-762, localizado a 85 km da Praia de Ponta Grossa, em Icapuí, no Ceará. O simulado, realizado na terça (16) e quarta-feira (17), ocorreu em cumprimento a uma condicionante apresentada pelo Ibama como etapa para a obtenção da licença de perfuração dos poços Pitu Oeste e Anhangá, na Bacia Potiguar.

    No total, foram mobilizadas cerca de 440 pessoas, durante os dois dias do exercício, que ocorreu em Fortim, no Ceará, e no Rio de Janeiro. Foram mobilizadas quatro aeronaves, dois drones, duas ambulâncias, 32 veículos terrestres e 20 embarcações para as ações de simulação de contenção e recolhimento de petróleo, proteção costeira, monitoramento, resgate e atendimento à fauna.

    Em Fortim, foi montado um posto avançado com uma unidade médica e duas ambulâncias. No Rio de Janeiro, no Edifício Senado, sede da Petrobras, no centro da cidade, as equipes ficaram empenhadas no atendimento de demandas e nas articulações necessárias para o andamento das operações.

    O diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Joelson Falcão Mendes, ressaltou a importância do exercício:

    “Qualquer simulado que faça parte da nossa rotina nos ensina bastante para que a gente se sinta pronto para possíveis eventos reais. Estamos buscando licenciamento para uma nova fronteira, uma área extremamente importante para a Petrobras e tenho convicção de que, com esse competente trabalho feito aqui, o Ibama terá mais confiança de que, em uma remotíssima hipótese de algum incidente, estamos preparados para atuar”, destacou Joelson.

    Para comprovar a robustez de recursos para atendimento à fauna, 20 forças-tarefas foram colocadas em ação no mar e nas praias, com cerca de 50 profissionais especializados no tema, incluindo biólogos, veterinários e tratadores. Quatro unidades de recepção e estabilização de fauna foram montadas entre Aracati e Icapuí. Além disso, o Centro de Despetrolização e Reabilitação e Quarentena (IAAP), em Caucaia, ficou mobilizado para o evento.

    Somente na Margem Equatorial, há quatro Centros de Defesa Ambiental (CDAs), localizados no Pará, Maranhão, Ceará e Rio Grande do Norte; além de outros nove CDAs, bases avançadas e centros de resposta à emergência, distribuídos pelo restante do Brasil. Todas essas estruturas estão devidamente equipadas para pronta resposta em caso de eventos acidentais envolvendo vazamento de óleo no mar, de modo a minimizar danos ao meio ambiente, mesmo que a probabilidade de um evento dessa natureza ocorrer seja remotíssima.

    O comandante do simulado, Jeferson Kinzel, explicou que a Petrobras aprimora continuamente a capacidade de resposta a emergências:

    “Esse simulado representa uma etapa final de um trabalho de vários anos. Nossa equipe de EOR trabalhou muito bem orquestrada, mostrando que temos total condições de atender a todas as demandas relacionadas à proteção ao meio ambiente, fauna e proteção costeira, conforme compromisso da Petrobras. Em uma área de nova fronteira como esta, mostrar eficiência, segurança e uma enorme mobilização de pessoas, equipamentos e recursos nos abre novas perspectivas para que possamos atuar na Margem Equatorial como um todo”, enfatizou.

    Vale lembrar que esses poços já foram perfurados. O simulado foi realizado nesta época do ano, a pedido do Ibama, devido a condições climáticas e marinhas, mas diz respeito a perfurações já feitas.

    Margem Equatorial

    A Bacia Potiguar abrange porções marítimas dos estados do Rio do Grande do Norte e do Ceará e é parte da chamada Margem Equatorial brasileira, que se estende entre os estados do Amapá e do Rio Grande do Norte. A região é considerada uma das mais novas e promissoras fronteiras mundiais em águas profundas e ultra profundas.

    Descobertas recentes anunciadas em regiões contínuas a essas fronteiras, especialmente nos vizinhos Guiana e Suriname, indicam relevante potencial de produção de petróleo para a Margem Equatorial brasileira.

    As novas fronteiras brasileiras são essenciais para a garantia da segurança e soberania energética nacional, em um contexto de transição energética e economia de baixo carbono.


  • Audiência pública defende recuperação do estádio Nogueirão


    Audiência pública defende recuperação do estádio Nogueirão

    A Câmara Municipal de Mossoró realizou, na manhã de hoje, 18, uma audiência pública para debater a situação do Estádio Manoel Leonardo Nogueira, conhecido popularmente como Nogueirão. A audiência, de iniciativa do vereado Isaac da Casca (MDB), trouxe à tona questões críticas sobre o estado do equipamento esportivo e enfatizou a necessidade imediata manutenção.

    Na composição da mesa, estiveram presentes o vereador Isaac da Casca, a vereadora Marleide Cunha, Hieraldo Santos, professor de educação física da UERN, Hermeson Pinheiro, presidente da OAB/Mossoró, o representante do Baraúnas Lima Neto, Lenilton, do Mossoró Esporte Público e o ex-vereador Genivan Vale. Também participaram da audiência os vereadores Tony Fernandes, Paulo Igo e Omar Nogueira, além de representantes de setores ligados ao esporte.

    Desabamento e apelo

     Em fevereiro deste ano, uma parte significativa do Estádio Nogueirão desabou. Para o presidente da OAB, Hemerson Pinheiro, o incidente é um reflexo da falta de manutenção do Nogueirão ao longo dos anos. “Em 2016, a UNI-RN apresentou um estudo que já apontava a precariedade das instalações”, explicou. Hemerson pontuou ainda o perigo da falta de manutenção da estrutura para as pessoas que residem ou frequentam o entorno do Estádio. “Todos os dias pessoas fazem caminhadas ali. Passam pelo local. E correm riscos”, alertou.

    Além do perigo a segurança das pessoas, a estrutura precária do Estádio também causa preocupação por causa do impacto social e econômico e falta de preservação da história de Mossoró. O professor de educação física da UERN Hieraldo Santos destacou os efeitos que a paralização das atividades no Estádio provoca na comunidade local. “As atividades que deixam de ser desenvolvidas ali impactam na geração de emprego e renda para uma série de trabalhadores que vivem direta ou indiretamente de eventos esportivos”.

    Lima Neto, que representou o time de futebol Baraúnas, fez um apelo para a recuperação parcial do estádio, citando o abandono do gramado e os custos proibitivos de realizar jogos em outras cidades. “Estamos quase perdendo o gramado dali, que está abandonado. Temos que realizar os jogos na cidade de Assu, porque Mossoró não tem estádio adequado para eventos oficiais de futebol. Torcedores gastam com deslocamento e nós gastamos com a estrutura de outros estádios, quando estes valores poderiam está sendo investidos no Nogueirão”, disse.

                Reforçando o apelo para a recuperação do Nogueirão, o vereador Isaac da Casca revelou que Mossoró é a única cidade brasileira, com uma população com mais de 250 mil habitantes, que não possui estádio de futebol habilitado para receber um jogo oficial de futebol.

    Ausência

    Para a vereadora Marleide Cunha, a falta de representantes da Prefeitura de Mossoró e de outros vereadores da situação na audiência é problemática. “Observo aqui que não há representantes da Prefeitura e nem vereadores de situação. Não há desculpa para a ausência, temos obrigação de vir aqui debater assuntos importantes para a população”, disse.

                Os vereadores Tony Fernandes, Omar Nogueira e Paulo Igo reforçaram a crítica da vereadora e condenaram a ausência da Secretaria Municipal de Esportes. “A audiência pública deixa claro que a situação do Estádio Nogueirão é uma questão urgente que requer atenção imediata. A comunidade de Mossoró e os representantes do esporte local estão clamando por ações concretas para restaurar o estádio e garantir a segurança e o bem-estar das famílias que vivem no entorno. E é um espanto que a Secretaria Municipal de Esportes não envie representantes”, disse Tony.

    Nota da Prefeitura

                Em contrapartida, a Prefeitura de Mossoró, por meio da Comissão de Projeto Estratégico de Gestão, enviou uma nota à Câmara, sobre um projeto técnico e a possibilidade de permuta para um novo estádio na cidade.


  • Embaixada no Irã recomenda que brasileiros estoquem alimentos


    Embaixada no Irã recomenda que brasileiros estoquem alimentos

    O embaixador do Brasil no Irã, Eduardo Gradilone, informou que está mantendo contato com os brasileiros após os ataques de Israel ao país na madrugada desta sexta-feira (19), coincidentemente, data do aniversário do líder supremo do Irã, Ali Khamenei, que completa 85 anos. A afirmativa foi feita em entrevista à CNN.

    O adido militar do Brasil, coronel Pedro Ivo de Almeida Silva, também se manifestou por meio de mensagem no grupo de WhatsApp dos brasileiros no país, buscando acalmar a comunidade. Ele classificou os ataques como “pontuais” e, em uma avaliação preliminar, apontou que “o risco de efeitos colaterais para a população é muito baixo”.

    Embora tenha sugerido cautela, o coronel Pedro Ivo recomendou que os brasileiros façam um estoque de água, alimentos e baterias para recarregar celulares e lanternas caso ocorra corte de energia nas cidades próximas. A estimativa é de que a comunidade brasileira no Irã seja composta por cerca de 150 a 180 pessoas.


  • Câmara de Natal aprova política que prevê o fornecimento de remédios à base de canabidiol


    Câmara de Natal aprova política que prevê o fornecimento de remédios à base de canabidiol

    Os vereadores de Natal aprovaram em sessão nesta quinta-feira (18), a criação de uma política municipal para fornecimento de medicamentos à base de canabidiol, ou seja, derivados da maconha. A matéria foi à plenário em segunda discussão, assim como outras seis matérias.

    O Projeto de Lei nº 198/2023, do vereador Felipe Alves (União Brasil), institui a política municipal de fornecimento gratuito de medicamentos formulados de derivado vegetal à base de canabidiol, em associação com outras substâncias canabinóides, incluindo o tetrahidrocanabidiol.

    Essa distribuição ocorreria em caráter de excepcionalidade, pelo Poder Executivo nas unidades de saúde pública municipais. “É uma matéria que regula uma questão que é tendência mundial para tratar diversas doenças, como epilepsia, Parkinson, cânceres, proporcionando qualidade de vida aos pacientes. Inclusive, a Anvisa já regulamentou e o SUS fornece esses remédios com critérios rígidos”, disse o autor.


  • Atleta do América, Felipe Bezerra brilha no Grand Slam de Jiu-Jitsu, em Roma


    Atleta do América, Felipe Bezerra brilha no Grand Slam de Jiu-Jitsu, em Roma

    Felipe se destacou no Grand Slam de Roma, realizado entre os dias 12 e 14 de abril, conquistando resultados importantes em duas categorias de peso. O atleta Potiguar competiu ao longo dos dois dias de evento, participando de seis lutas intensas.

    Na categoria Master 1, Felipe demonstrou grande habilidade e técnica, garantindo a medalha de prata após lutas acirradas. Não satisfeito, ele também competiu na categoria profissional, onde se sagrou campeão, reafirmando sua posição como um dos principais competidores do circuito.

    Das seis lutas que disputou, o atleta do América Futebol Clube dominou o tatame e venceu cinco por pontuação.



Dra Kyvia Mota