Imagem Redes sociais

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Jean Berg Alves da Silva, lotado no Departamento de Ciências Animais, é mais uma vez candidato a reitor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Formando chapa com o professor Manoel Quirino da Silva Junior, do departamento de Engenharia e Tecnologia, Jean concedeu entrevista ao Portal, numa semana decisiva, a eleição para Reitoria já é nessa semana, na quinta-feira, 4.

Na entrevista o professor falou de sua plataforma de gestão, da escolha de seu vice, da administração da reitora Ludimilla de Oliveira, e qual visão de Universidade irá implementar caso saia vitorioso das urnas.

Para acessar o Plano de Gestão da chapa Jean-Quirino basta clicar aqui.

O Potengi – professor Jean, você mais uma vez vai tentar chegar à Reitoria da UFERSA. De que nasceu o sentimento de sua candidatura?

Jean Berg – estou na ESAM/UFERSA desde 1996, primeiramente como discente do curso de Medicina Veterinária, depois como professor substituto e, finalmente, como professor efetivo. Vi esta instituição crescer, ser transformada em Universidade, gerar milhares de oportunidades e mudar vidas, assim como fez com a minha. Tenho uma identificação enorme com a UFERSA e por esse motivo me incomoda muito ver a forma como ela foi tratada nos últimos anos, com as vaidades pessoais estando à frente do interesse institucional.

Fui coordenador de graduação e pós-graduação, pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação e, em todos os cargos que assumi, busquei melhorar as atividades da Universidade através da captação de recursos externos, aprovando projetos junto a diversas fontes de fomento, sempre com o objetivo de contribuir para duas coisas que são fundamentais para qualquer Universidade Pública no Brasil, a aproximação com a sociedade, trazendo respostas para os anseios e angústias daquelas pessoas que mais precisam, bem como a formação de nossos discentes, que serão molas propulsoras para o desenvolvimento regional.

O Potengi – a escolha do professor Quirino Silva para vice em sua chapa, surgiu de que?

Jean Berg – sempre admirei o professor Quirino pelo seu trabalho, sua dedicação à Universidade e sua capacidade de agregar pessoas na busca de propósitos, colocando sempre os interesses coletivos à frente das vaidades pessoais. Não tenho dúvidas de que ele chega para multiplicar forças e ajudar na construção de uma Universidade mais acolhedora, aproximando os técnicos, docentes e discentes, bem como toda a sociedade.

O Potengi – quais suas propostas para o tripé que rege a Universidade, pesquisa-extensão-ensino, além das propostas concernentes à administração universitária?

Jean Berg – o nosso Plano de Gestão foi construído de forma coletiva, ouvindo todos os segmentos e campi da Universidade, buscando sempre pautar as ideias e propostas com foco em quatro princípios: foco nas pessoas, com respeito à diversidade; eficiência administrativa focada na qualidade e na sustentabilidade; fomento à inovação e ao empreendedorismo; gestão participativa, transparente e por competência.

Nossa principal bandeira é a aproximação entre Universidade e sociedade, abrindo portas para a atuação de nossos estudantes e egressos, trazendo para a instituição problemas da sociedade para os quais podemos desenvolver soluções.

Essa aproximação facilitará a atração de novos recursos, a integração entre o aprendizado em sala de aula e a prática, tornando as atividades acadêmicas mais atrativas e produtivas para os nossos alunos.

Na pesquisa, a integração com a sociedade vai favorecer uma maior possibilidade de apropriação do conhecimento e das tecnologias geradas na instituição, promovendo a inovação e o empreendedorismo com maior chance de transferência de tecnologia.

A extensão é o cartão de visitas da Universidade. Com um aumento de investimento nessa área, a Universidade ganha visibilidade e exerce seu papel de instituição pública em toda sua plenitude. Para isso, o plano de gestão traz diversas ações de extensão que irão proporcionar uma maior oportunidade de atuação de nossos docentes, discentes e técnicos.

Nosso Plano de Gestão tem como propósito “tornar a UFERSA referência no desenvolvimento humano, social, econômico e cultural do semiárido brasileiro”. 

O Potengi – como avalia a gestão da reitora Ludimilla?

Jean Berg – o isolamento institucional, a falta de foco nos problemas reais da comunidade acadêmica e o excesso de promoção da imagem da gestora são pontos que enfraqueceram e descredibilizaram muito a UFERSA. O foco no interesse coletivo ficou em segundo plano em diversos momentos, o que acabou servindo de desestímulo para todos os agentes de nossa comunidade universitária. A Universidade encolheu nos últimos anos, diminuindo o número de matrículas na graduação, o que tem culminado com uma série de prejuízos para todos que fazem a instituição.

Precisamos investir no orgulho de ser uma instituição que representa a força do semiárido, uma região de um povo conhecido pela sua capacidade de superar adversidades e continuar com força e determinação, crescendo no contexto nacional e internacional.

A estabilidade e a harmonia precisam estar no centro das ações institucionais, respeitando as decisões coletivas e ouvindo toda a comunidade e isso, infelizmente, não foi feito na atual gestão. Eu e Quirino temos a certeza que poderemos devolver a todos o sentimento de pertencimento à UFERSA.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Jean Berg, candidato a reitor da UFERSA, fala de suas propostas para a Universidade



Jean Berg Alves da Silva, lotado no Departamento de Ciências Animais, é mais uma vez candidato a reitor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Formando chapa com o professor Manoel Quirino da Silva Junior, do departamento de Engenharia e Tecnologia, Jean concedeu entrevista ao Portal, numa semana decisiva, a eleição para Reitoria já é nessa semana, na quinta-feira, 4.

Na entrevista o professor falou de sua plataforma de gestão, da escolha de seu vice, da administração da reitora Ludimilla de Oliveira, e qual visão de Universidade irá implementar caso saia vitorioso das urnas.

Para acessar o Plano de Gestão da chapa Jean-Quirino basta clicar aqui.

O Potengi – professor Jean, você mais uma vez vai tentar chegar à Reitoria da UFERSA. De que nasceu o sentimento de sua candidatura?

Jean Berg – estou na ESAM/UFERSA desde 1996, primeiramente como discente do curso de Medicina Veterinária, depois como professor substituto e, finalmente, como professor efetivo. Vi esta instituição crescer, ser transformada em Universidade, gerar milhares de oportunidades e mudar vidas, assim como fez com a minha. Tenho uma identificação enorme com a UFERSA e por esse motivo me incomoda muito ver a forma como ela foi tratada nos últimos anos, com as vaidades pessoais estando à frente do interesse institucional.

Fui coordenador de graduação e pós-graduação, pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação e, em todos os cargos que assumi, busquei melhorar as atividades da Universidade através da captação de recursos externos, aprovando projetos junto a diversas fontes de fomento, sempre com o objetivo de contribuir para duas coisas que são fundamentais para qualquer Universidade Pública no Brasil, a aproximação com a sociedade, trazendo respostas para os anseios e angústias daquelas pessoas que mais precisam, bem como a formação de nossos discentes, que serão molas propulsoras para o desenvolvimento regional.

O Potengi – a escolha do professor Quirino Silva para vice em sua chapa, surgiu de que?

Jean Berg – sempre admirei o professor Quirino pelo seu trabalho, sua dedicação à Universidade e sua capacidade de agregar pessoas na busca de propósitos, colocando sempre os interesses coletivos à frente das vaidades pessoais. Não tenho dúvidas de que ele chega para multiplicar forças e ajudar na construção de uma Universidade mais acolhedora, aproximando os técnicos, docentes e discentes, bem como toda a sociedade.

O Potengi – quais suas propostas para o tripé que rege a Universidade, pesquisa-extensão-ensino, além das propostas concernentes à administração universitária?

Jean Berg – o nosso Plano de Gestão foi construído de forma coletiva, ouvindo todos os segmentos e campi da Universidade, buscando sempre pautar as ideias e propostas com foco em quatro princípios: foco nas pessoas, com respeito à diversidade; eficiência administrativa focada na qualidade e na sustentabilidade; fomento à inovação e ao empreendedorismo; gestão participativa, transparente e por competência.

Nossa principal bandeira é a aproximação entre Universidade e sociedade, abrindo portas para a atuação de nossos estudantes e egressos, trazendo para a instituição problemas da sociedade para os quais podemos desenvolver soluções.

Essa aproximação facilitará a atração de novos recursos, a integração entre o aprendizado em sala de aula e a prática, tornando as atividades acadêmicas mais atrativas e produtivas para os nossos alunos.

Na pesquisa, a integração com a sociedade vai favorecer uma maior possibilidade de apropriação do conhecimento e das tecnologias geradas na instituição, promovendo a inovação e o empreendedorismo com maior chance de transferência de tecnologia.

A extensão é o cartão de visitas da Universidade. Com um aumento de investimento nessa área, a Universidade ganha visibilidade e exerce seu papel de instituição pública em toda sua plenitude. Para isso, o plano de gestão traz diversas ações de extensão que irão proporcionar uma maior oportunidade de atuação de nossos docentes, discentes e técnicos.

Nosso Plano de Gestão tem como propósito “tornar a UFERSA referência no desenvolvimento humano, social, econômico e cultural do semiárido brasileiro”. 

O Potengi – como avalia a gestão da reitora Ludimilla?

Jean Berg – o isolamento institucional, a falta de foco nos problemas reais da comunidade acadêmica e o excesso de promoção da imagem da gestora são pontos que enfraqueceram e descredibilizaram muito a UFERSA. O foco no interesse coletivo ficou em segundo plano em diversos momentos, o que acabou servindo de desestímulo para todos os agentes de nossa comunidade universitária. A Universidade encolheu nos últimos anos, diminuindo o número de matrículas na graduação, o que tem culminado com uma série de prejuízos para todos que fazem a instituição.

Precisamos investir no orgulho de ser uma instituição que representa a força do semiárido, uma região de um povo conhecido pela sua capacidade de superar adversidades e continuar com força e determinação, crescendo no contexto nacional e internacional.

A estabilidade e a harmonia precisam estar no centro das ações institucionais, respeitando as decisões coletivas e ouvindo toda a comunidade e isso, infelizmente, não foi feito na atual gestão. Eu e Quirino temos a certeza que poderemos devolver a todos o sentimento de pertencimento à UFERSA.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos