0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Desde o final de abril, o Rio Grande do Sul tem enfrentado uma série de tempestades que já resultaram em prejuízos grandes financeiros, totalizando cerca de R$ 7,5 bilhões. Os dados, atualizados nesta quinta-feira (9), apontam para uma situação preocupante em diversas regiões.

De acordo com informações da Defesa Civil Estadual, 428 municípios foram afetados pelas tempestades. Destes, 397 foram reconhecidos pelo governo federal em estado de calamidade pública, com 211 já registrando os decretos no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). A Confederação Nacional de Municípios (CNM) ressalta que a maioria das localidades está começando a informar os valores dos danos e prejuízos à medida que os níveis da água diminuem.

Os setores mais atingidos pelos temporais são os habitacionais, públicos e privados. Dos R$ 7,5 bilhões em prejuízos, R$ 2 bilhões são no setor público e R$ 1,1 bilhão no setor privado. O setor habitacional lidera com R$ 4,4 bilhões em danos, resultando em 85,3 mil casas danificadas ou destruídas.

Veja os principais impactos nos setores:

Habitação

  • Danificadas: 76,2 mil
  • Destruídas: 9,1 mil
  • Total de unidades habitacionais afetadas: 85,3 mil

Setores privados

  • Agricultura: R$ 811 milhões em prejuízos
  • Pecuária: R$ 63 milhões em prejuízos
  • Indústria: R$ 151,7 milhões em prejuízos
  • Comércios locais: R$ 108,1 milhões em prejuízos
  • Demais serviços: R$ 12,6 milhões em prejuízos

Setores públicos

  • Danos materiais (escolas, hospitais, prefeituras): R$ 395,8 milhões em prejuízos
  • Obras de infraestrutura (pontes, estradas, calçamento, sistemas de drenagem): R$ 1,4 bilhão em prejuízos
  • Sistema de transportes: R$ 52,5 milhões em prejuízos
  • Assistência médica emergencial: R$ 13,2 milhões em prejuízos
  • Sistema de esgotamento sanitário: R$ 15,8 milhões em prejuízos
  • Limpeza urbana e remoção de escombros: R$ 31,5 milhões em prejuízos
  • Geração e distribuição de energia elétrica: R$ 4,5 milhões em prejuízos
  • Sistema de ensino: R$ 14,5 milhões em prejuízos
  • Abastecimento de água: R$ 10,5 milhões em prejuízos

Além dos impactos financeiros, os temporais também deixaram uma marca humana dolorosa, com 107 mortos, 518 desaparecidos, 67,5 mil desabrigados, 403,7 mil desalojados, 8,4 mil feridos e enfermos, totalizando 1,7 milhão de pessoas afetadas.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Enchentes no Rio Grande do Sul causam prejuízo de R$ 7,5 bilhões, diz relatório preliminar da CMN



Desde o final de abril, o Rio Grande do Sul tem enfrentado uma série de tempestades que já resultaram em prejuízos grandes financeiros, totalizando cerca de R$ 7,5 bilhões. Os dados, atualizados nesta quinta-feira (9), apontam para uma situação preocupante em diversas regiões.

De acordo com informações da Defesa Civil Estadual, 428 municípios foram afetados pelas tempestades. Destes, 397 foram reconhecidos pelo governo federal em estado de calamidade pública, com 211 já registrando os decretos no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). A Confederação Nacional de Municípios (CNM) ressalta que a maioria das localidades está começando a informar os valores dos danos e prejuízos à medida que os níveis da água diminuem.

Os setores mais atingidos pelos temporais são os habitacionais, públicos e privados. Dos R$ 7,5 bilhões em prejuízos, R$ 2 bilhões são no setor público e R$ 1,1 bilhão no setor privado. O setor habitacional lidera com R$ 4,4 bilhões em danos, resultando em 85,3 mil casas danificadas ou destruídas.

Veja os principais impactos nos setores:

Habitação

  • Danificadas: 76,2 mil
  • Destruídas: 9,1 mil
  • Total de unidades habitacionais afetadas: 85,3 mil

Setores privados

  • Agricultura: R$ 811 milhões em prejuízos
  • Pecuária: R$ 63 milhões em prejuízos
  • Indústria: R$ 151,7 milhões em prejuízos
  • Comércios locais: R$ 108,1 milhões em prejuízos
  • Demais serviços: R$ 12,6 milhões em prejuízos

Setores públicos

  • Danos materiais (escolas, hospitais, prefeituras): R$ 395,8 milhões em prejuízos
  • Obras de infraestrutura (pontes, estradas, calçamento, sistemas de drenagem): R$ 1,4 bilhão em prejuízos
  • Sistema de transportes: R$ 52,5 milhões em prejuízos
  • Assistência médica emergencial: R$ 13,2 milhões em prejuízos
  • Sistema de esgotamento sanitário: R$ 15,8 milhões em prejuízos
  • Limpeza urbana e remoção de escombros: R$ 31,5 milhões em prejuízos
  • Geração e distribuição de energia elétrica: R$ 4,5 milhões em prejuízos
  • Sistema de ensino: R$ 14,5 milhões em prejuízos
  • Abastecimento de água: R$ 10,5 milhões em prejuízos

Além dos impactos financeiros, os temporais também deixaram uma marca humana dolorosa, com 107 mortos, 518 desaparecidos, 67,5 mil desabrigados, 403,7 mil desalojados, 8,4 mil feridos e enfermos, totalizando 1,7 milhão de pessoas afetadas.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos