Diretório municipal do PT está com Marcílio, mas líderes estaduais ainda desejam sigla no governismo



0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

No último dia 26, o Partido dos Trabalhadores (PT) de Ceará-Mirim definiu em seu encontro tático que apoiará a pré-candidatura do vice-prefeito Marcílio Dantas (PP). O PT indicou o nome do ex-vereador Renato Martins para ser o vice na chapa com Marcílio.

A posição da federação do PT (PT/PCdoB/PV) encerrou meses de especulações sobre qual posição a legenda tomaria no pleito municipal. De início, o próprio Renato foi lançado como pré-candidato a prefeito, porém, a sigla entendeu que uma composição com o campo oposicionista é mais viável.

Dedé Luz, defendido pela direção estadual do PT para ser o vice do pré-candidato governista, Antônio Henrique, colocou no encontro uma aliança com o grupo do prefeito Júlio César (PSD), mas os votos foram contrários a composição.

Júlio vem há meses insistindo numa aliança com o PT, abrindo a vaga de vice na chapa de Antônio, entretanto, o alcaide procurou a executiva estadual para tratar disso, nunca houve diálogo com o petismo ceará-mirinense, o mais interessado na questão.

Os líderes estaduais petistas querem o PT no palanque de Antônio, mas o petismo local rejeita firmemente uma coligação com o governismo.

Uma possível intervenção da direção estadual para levar a federação ao palanque governista acarretaria numa instabilidade na agremiação, que já construiu sua nominata de pré-candidatos a vereadores, com 16 nomes.

O partido trabalha a possibilidade de eleger ao menos uma vaga para o Legislativo, contudo, uma imposição estadual para se coligar com Antônio Henrique levaria a solavancos que põem em jogo a vaga pretendida pelo PT na Câmara Municipal.

O militantes municipais não acreditam que a estadual intervenha nos rumos da eleição, mas o desejo de levar o PT para a tribuna governista ainda existe. Até que ponto essa vontade pode se transformar em ação, atropelando a decisão da instância municipal, é o que saberemos até o período das convenções partidárias.




O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte


Diretório municipal do PT está com Marcílio, mas líderes estaduais ainda desejam sigla no governismo





No último dia 26, o Partido dos Trabalhadores (PT) de Ceará-Mirim definiu em seu encontro tático que apoiará a pré-candidatura do vice-prefeito Marcílio Dantas (PP). O PT indicou o nome do ex-vereador Renato Martins para ser o vice na chapa com Marcílio.

A posição da federação do PT (PT/PCdoB/PV) encerrou meses de especulações sobre qual posição a legenda tomaria no pleito municipal. De início, o próprio Renato foi lançado como pré-candidato a prefeito, porém, a sigla entendeu que uma composição com o campo oposicionista é mais viável.

Dedé Luz, defendido pela direção estadual do PT para ser o vice do pré-candidato governista, Antônio Henrique, colocou no encontro uma aliança com o grupo do prefeito Júlio César (PSD), mas os votos foram contrários a composição.

Júlio vem há meses insistindo numa aliança com o PT, abrindo a vaga de vice na chapa de Antônio, entretanto, o alcaide procurou a executiva estadual para tratar disso, nunca houve diálogo com o petismo ceará-mirinense, o mais interessado na questão.

Os líderes estaduais petistas querem o PT no palanque de Antônio, mas o petismo local rejeita firmemente uma coligação com o governismo.

Uma possível intervenção da direção estadual para levar a federação ao palanque governista acarretaria numa instabilidade na agremiação, que já construiu sua nominata de pré-candidatos a vereadores, com 16 nomes.

O partido trabalha a possibilidade de eleger ao menos uma vaga para o Legislativo, contudo, uma imposição estadual para se coligar com Antônio Henrique levaria a solavancos que põem em jogo a vaga pretendida pelo PT na Câmara Municipal.

O militantes municipais não acreditam que a estadual intervenha nos rumos da eleição, mas o desejo de levar o PT para a tribuna governista ainda existe. Até que ponto essa vontade pode se transformar em ação, atropelando a decisão da instância municipal, é o que saberemos até o período das convenções partidárias.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos