Imagem Plano de ação é criado em reunião entre orgãos- Foto: Assecom\ Governo do RN

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

A reconstrução da ponte de Lajes segue sendo um dos assuntos mais pautados desta semana devido à importância que o trecho possui, após ser afetado pelo transbordamento do rio, levando à queda da ponte. Como o trajeto está inviabilizado, rotas precisaram ser recalculadas. O imprevisto vem gerando muitos transtornos.

Para debater o problema, o governo do RN fez uma reunião com os integrantes do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) e do Comitê Permanente de Acompanhamento das Chuvas. O GGI é formado por órgãos da administração estadual — como Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Segurança Pública e Secretaria de Recursos Hídricos —, e federais, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Polícia Rodoviária Federal, e agora, Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e Exército, nesta terça-feira (2).

 Na ocasião, foram criados três grupos de trabalho: um voltado para a questão da segurança; outro para monitoramento das chuvas e adoção de medidas preventivas; e o terceiro para acompanhar o processo de restauração dos trechos rodoviários destruídos pelas enxurradas.

“O que nós precisamos ter? Em primeiro lugar, proteger a vida das pessoas, desenvolver cada vez mais ações preventivas para evitar danos. Nesse cenário, outra ação que precisamos focar são as providências para a construção da nova ponte na BR-304, nossa rodovia de maior conexão com todas as regiões do Estado. Associado a isso, é necessário a construção, em caráter emergencial, de uma opção mais adequada para garantir o fluxo de veículos na BR-304, sem necessidade das rotas alternativas”, disse a governadora Fátima Bezerra (PT).

De acordo com Getúlio Batista, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Rio Grande do Norte, o cronograma de recuperação da BR-304 deve estar disponível até sexta-feira (5).

“Eu acho que até sexta-feira a gente vai dar um levantamento preciso de um cronograma de obra, de emergencial, que o ministro [dos Transportes, Renan Filho] já decretou emergência”, informou.

Segundo Batista, além da ponte, a água levou aproximadamente 300 metros da BR-304, mas a recuperação pode ser feita em até um quilômetro, já que houve outros danos como rachaduras ao longo deste trecho. A primeira providência será a construção de um desvio nas proximidades da área danificada pelas chuvas.

 Devido aos transtornos, atualmente há duas rotas alternativas para acesso a Natal ou de quem sai da capital com destino às regiões central e oeste do RN. Uma pela BR-406 (Natal-Macau) e RN-118 (Ipanguaçu); a outra pela BR-226 (Triunfo Potiguar-Currais Novos). Na reunião do Gabinete de Gestão Integrada, o representante da Polícia Rodoviária Federal sugeriu aos motoristas que usam a BR-406, evitarem a Estrada do Óleo. Segundo ele, a melhor rota é por Macauzinho. Aumenta o trajeto em alguns quilômetros, mas a estrada está em boas condições de trafegabilidade. 

A reconstrução da cabeceira da ponte da RN-041 no leito do Rio São Miguel, acesso a Santana do Matos, a outros municípios e comunidades rurais da microrregião Serra de Santana também entrou na pauta. O DER informou que as providências estão sendo adotadas, mas é necessário que haja condições propícias do terreno para o trabalho de recuperação do aterro de acesso à ponte.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



BR-304: cronograma de recuperação deve estar pronto até sexta-feira (5)



A reconstrução da ponte de Lajes segue sendo um dos assuntos mais pautados desta semana devido à importância que o trecho possui, após ser afetado pelo transbordamento do rio, levando à queda da ponte. Como o trajeto está inviabilizado, rotas precisaram ser recalculadas. O imprevisto vem gerando muitos transtornos.

Para debater o problema, o governo do RN fez uma reunião com os integrantes do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) e do Comitê Permanente de Acompanhamento das Chuvas. O GGI é formado por órgãos da administração estadual — como Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Segurança Pública e Secretaria de Recursos Hídricos —, e federais, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Polícia Rodoviária Federal, e agora, Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e Exército, nesta terça-feira (2).

 Na ocasião, foram criados três grupos de trabalho: um voltado para a questão da segurança; outro para monitoramento das chuvas e adoção de medidas preventivas; e o terceiro para acompanhar o processo de restauração dos trechos rodoviários destruídos pelas enxurradas.

“O que nós precisamos ter? Em primeiro lugar, proteger a vida das pessoas, desenvolver cada vez mais ações preventivas para evitar danos. Nesse cenário, outra ação que precisamos focar são as providências para a construção da nova ponte na BR-304, nossa rodovia de maior conexão com todas as regiões do Estado. Associado a isso, é necessário a construção, em caráter emergencial, de uma opção mais adequada para garantir o fluxo de veículos na BR-304, sem necessidade das rotas alternativas”, disse a governadora Fátima Bezerra (PT).

De acordo com Getúlio Batista, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Rio Grande do Norte, o cronograma de recuperação da BR-304 deve estar disponível até sexta-feira (5).

“Eu acho que até sexta-feira a gente vai dar um levantamento preciso de um cronograma de obra, de emergencial, que o ministro [dos Transportes, Renan Filho] já decretou emergência”, informou.

Segundo Batista, além da ponte, a água levou aproximadamente 300 metros da BR-304, mas a recuperação pode ser feita em até um quilômetro, já que houve outros danos como rachaduras ao longo deste trecho. A primeira providência será a construção de um desvio nas proximidades da área danificada pelas chuvas.

 Devido aos transtornos, atualmente há duas rotas alternativas para acesso a Natal ou de quem sai da capital com destino às regiões central e oeste do RN. Uma pela BR-406 (Natal-Macau) e RN-118 (Ipanguaçu); a outra pela BR-226 (Triunfo Potiguar-Currais Novos). Na reunião do Gabinete de Gestão Integrada, o representante da Polícia Rodoviária Federal sugeriu aos motoristas que usam a BR-406, evitarem a Estrada do Óleo. Segundo ele, a melhor rota é por Macauzinho. Aumenta o trajeto em alguns quilômetros, mas a estrada está em boas condições de trafegabilidade. 

A reconstrução da cabeceira da ponte da RN-041 no leito do Rio São Miguel, acesso a Santana do Matos, a outros municípios e comunidades rurais da microrregião Serra de Santana também entrou na pauta. O DER informou que as providências estão sendo adotadas, mas é necessário que haja condições propícias do terreno para o trabalho de recuperação do aterro de acesso à ponte.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos