são paulo do potengi

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Depois do anúncio do aumento do preço da gasolina no estado, chegou a vez do gás de cozinha. A partir de fevereiro, os moradores do Rio Grande do Norte deverão preparar-se para um aumento no custo do botijão de gás de cozinha. 

Segundo informações do Sindicato dos Revendedores de Gás do estado, um reajuste entre 4% e 5% está previsto para a próxima quinta-feira. 

O presidente do Sindicato, Francisco Santos, explica que o incremento no preço, que atualmente gira em torno de R$ 100, é resultado da conjunção de diversos fatores de custo, podendo elevar o valor médio para até R$ 105.

Os motivos citados para tal aumento incluem o reajuste no Imposto Sobre Mercadorias e Serviços – CMS, a retomada da cobrança do Pis/Cofins sobre o diesel e o recente aumento do salário mínimo. Estes fatores, combinados, afetam diretamente os custos operacionais do setor, especialmente considerando que o gás utilizado no estado é transportado de locais como Fortaleza e Recife. A elevação do preço do diesel, por exemplo, impacta diretamente nos custos de transporte.

O setor de revenda de gás no Rio Grande do Norte é significativo, vendendo aproximadamente 650 mil botijões mensalmente e empregando cerca de 30 mil pessoas, tanto diretamente quanto indiretamente. Santos também aponta que os preços podem variar de acordo com a região e até mesmo dentro de uma mesma cidade, refletindo as diferenças nos custos individuais de cada empreendimento.

Adicionalmente, em outubro de 2023, o Comitê Nacional de Secretários de Estado da Fazenda (Comsefaz) aprovou um aumento na cobrança do ICMS sobre o botijão de gás, alterando o valor por quilo de R$ 1,25 para R$ 1,41. Esse reajuste, que também afeta a gasolina e o óleo diesel, entrará em vigor na mesma data do aumento anunciado pelo sindicato.

Fonte: Redação

Imagem: Internet

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Aumento no valor do botijão de gás pesará no bolso do consumidor do RN



são paulo do potengi

Depois do anúncio do aumento do preço da gasolina no estado, chegou a vez do gás de cozinha. A partir de fevereiro, os moradores do Rio Grande do Norte deverão preparar-se para um aumento no custo do botijão de gás de cozinha. 

Segundo informações do Sindicato dos Revendedores de Gás do estado, um reajuste entre 4% e 5% está previsto para a próxima quinta-feira. 

O presidente do Sindicato, Francisco Santos, explica que o incremento no preço, que atualmente gira em torno de R$ 100, é resultado da conjunção de diversos fatores de custo, podendo elevar o valor médio para até R$ 105.

Os motivos citados para tal aumento incluem o reajuste no Imposto Sobre Mercadorias e Serviços – CMS, a retomada da cobrança do Pis/Cofins sobre o diesel e o recente aumento do salário mínimo. Estes fatores, combinados, afetam diretamente os custos operacionais do setor, especialmente considerando que o gás utilizado no estado é transportado de locais como Fortaleza e Recife. A elevação do preço do diesel, por exemplo, impacta diretamente nos custos de transporte.

O setor de revenda de gás no Rio Grande do Norte é significativo, vendendo aproximadamente 650 mil botijões mensalmente e empregando cerca de 30 mil pessoas, tanto diretamente quanto indiretamente. Santos também aponta que os preços podem variar de acordo com a região e até mesmo dentro de uma mesma cidade, refletindo as diferenças nos custos individuais de cada empreendimento.

Adicionalmente, em outubro de 2023, o Comitê Nacional de Secretários de Estado da Fazenda (Comsefaz) aprovou um aumento na cobrança do ICMS sobre o botijão de gás, alterando o valor por quilo de R$ 1,25 para R$ 1,41. Esse reajuste, que também afeta a gasolina e o óleo diesel, entrará em vigor na mesma data do aumento anunciado pelo sindicato.

Fonte: Redação

Imagem: Internet


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos