Imagem Imagem das redes sociais

4 1 Avalie a Postagem
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

A parte 2 de nossa matéria que tem como base o vídeo que circula nas nas redes sociais, onde a deputada Natália Bonavides (PT) e a vereadora de Natal, Brisa Brachi (PT), dão um confere em uma escola municipal, vai te levar para um luxo para poucos: a sauna na escola.

O vídeo mostra a visita que as parlamentares fizeram à Escola Municipal  Luiz Maranhão Filho, no bairro de Cidade Nova, na capital potiguar. Uma das pautas foi o calor que os alunos passam, em salas de aula sem ventiladores.

O vídeo denuncia que a gestão municipal deixou centenas de alunos em salas de aula, passando calor. “Com calor e com fome, não dá pra ficar na escola”, comentaram as parlamentares, ao se referirem ao atraso na entrega da merenda. Confira a parte 1 desta matéria.

Calor acima da média na capital

De acordo com o Instituto Nacional de Metrologia, Natal teve temperaturas acima da média. Só para se ter uma ideia, em março deste ano, a temperatura máxima média foi de 31,4°C, ficando 0,7°C acima da climatologia da estação convencional. A maior temperatura do mês de março foi de 32,9°C. Imaginem salas de aula sem ventiladores em temperaturas tão altas.

A deputada Natália, como bem cita no vídeo, é membra da comissão de educação da Câmara Federal. Ela está de parabéns por sua atuação fiscalizadora, ao cobrar o que é direito dos estudantes.

Nossa redação aproveita o ensejo para sugerir à deputada que prossiga em seu papel fiscalizador em outras instituições, como a Escola Estadual Professora Dulce Wanderley, a mais tradicional da Redinha, na zona Norte da capital.

Os mais de 500 matriculados, dividem as salas de aulas com outros 35 a 40 alunos, como determina o governo do estado. Sim, as turmas de ensino fundamental têm cerca de 35 alunos e as de ensino médio, no mínimo 40. “É lei que seja assim”, nos conta uma servidora.

Algumas salas não têm ventiladores, outras possuem ventiladores quebrados, antigos, doados por outras unidades escolares. Para piorar a situação, não há ventilação natural em algumas salas de aula e as janelas de madeira ficam fechadas para proteger os alunos do sol. A sensação de sauna é sentida por alunos, professores e servidores.

Imaginem a sensação térmica de uma sala de aula sem ventilação, sem ventiladores, com 40 alunos em dias de temperatura de mais de 30°C.

Por parte da deputada, não houve visita, protesto ou menção à situação lamentável dos alunos. Vaias para Natália.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Aplausos para Natália; vaias para Natália – Parte 2



A parte 2 de nossa matéria que tem como base o vídeo que circula nas nas redes sociais, onde a deputada Natália Bonavides (PT) e a vereadora de Natal, Brisa Brachi (PT), dão um confere em uma escola municipal, vai te levar para um luxo para poucos: a sauna na escola.

O vídeo mostra a visita que as parlamentares fizeram à Escola Municipal  Luiz Maranhão Filho, no bairro de Cidade Nova, na capital potiguar. Uma das pautas foi o calor que os alunos passam, em salas de aula sem ventiladores.

O vídeo denuncia que a gestão municipal deixou centenas de alunos em salas de aula, passando calor. “Com calor e com fome, não dá pra ficar na escola”, comentaram as parlamentares, ao se referirem ao atraso na entrega da merenda. Confira a parte 1 desta matéria.

Calor acima da média na capital

De acordo com o Instituto Nacional de Metrologia, Natal teve temperaturas acima da média. Só para se ter uma ideia, em março deste ano, a temperatura máxima média foi de 31,4°C, ficando 0,7°C acima da climatologia da estação convencional. A maior temperatura do mês de março foi de 32,9°C. Imaginem salas de aula sem ventiladores em temperaturas tão altas.

A deputada Natália, como bem cita no vídeo, é membra da comissão de educação da Câmara Federal. Ela está de parabéns por sua atuação fiscalizadora, ao cobrar o que é direito dos estudantes.

Nossa redação aproveita o ensejo para sugerir à deputada que prossiga em seu papel fiscalizador em outras instituições, como a Escola Estadual Professora Dulce Wanderley, a mais tradicional da Redinha, na zona Norte da capital.

Os mais de 500 matriculados, dividem as salas de aulas com outros 35 a 40 alunos, como determina o governo do estado. Sim, as turmas de ensino fundamental têm cerca de 35 alunos e as de ensino médio, no mínimo 40. “É lei que seja assim”, nos conta uma servidora.

Algumas salas não têm ventiladores, outras possuem ventiladores quebrados, antigos, doados por outras unidades escolares. Para piorar a situação, não há ventilação natural em algumas salas de aula e as janelas de madeira ficam fechadas para proteger os alunos do sol. A sensação de sauna é sentida por alunos, professores e servidores.

Imaginem a sensação térmica de uma sala de aula sem ventilação, sem ventiladores, com 40 alunos em dias de temperatura de mais de 30°C.

Por parte da deputada, não houve visita, protesto ou menção à situação lamentável dos alunos. Vaias para Natália.


4 1 Avalie a Postagem
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos