Imagem A previsão para maio é de muita chuva – Foto: Reprodução

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

O Rio Grande do Norte experimentou, entre janeiro e abril deste ano, um volume de chuvas 34% acima do previsto para o período, revelou o Sistema de Monitoramento da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn).

Os dados, divulgados neste domingo (5) pela Emparn, após a conclusão das análises do mês de abril, apontam que nos primeiros quatro meses do ano, a média de precipitação foi de 643,8 milímetros, contrastando com a expectativa de 477,8 mm.

As regiões se destacaram com os maiores acumulados de chuva: o Oeste Potiguar, registrando 709,7 mm, seguido pela Central Potiguar com 658,1 mm, o Leste Potiguar com 650 mm e o Agreste Potiguar com 557,2 mm.

Abril: índices acima do esperado

O mês de abril encerrou com uma média de chuvas 17% superior ao esperado, conforme dados da Emparn. O estado registrou um volume acumulado de 194 mm, ultrapassando os 164,8 mm previstos.

A Emparn destacou que todas as regiões do Rio Grande do Norte apresentaram médias de chuvas acima do esperado, com ênfase nas regiões do Agreste, com volumes 36,6% superiores à média, e Leste Potiguar, com 25,7%.

As médias de chuva por região foram de 181,6 mm no Agreste Potiguar, 246,1 mm no Leste Potiguar, 194 mm no Oeste Potiguar e 154,2 mm no Central Potiguar.

O aumento significativo nas precipitações resultou na sangria de alguns açudes no interior do estado, incluindo o Açude Gargalheiras, que não atingia esse nível há 13 anos. Na capital Natal, o volume médio de chuvas em abril foi de 284,8 mm

Segundo Gilmar Bristot, chefe da unidade de Meteorologia da Emparn, a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCTI) foi o principal sistema meteorológico responsável pelas chuvas no período. Ele ressaltou que o aumento foi impulsionado pela ZCTI, “associado ao aquecimento do oceano Atlântico – com temperaturas entre 1ºC e 2°C acima da média – aumentando a umidade que avançou para o território e favoreceu a formação de nuvens de chuvas”, concluiu.

Maio: Perspectivas

A Emparn prevê a continuidade das chuvas em todo o território potiguar durante o mês de maio. O volume mínimo esperado para o estado é de 108,7 mm, com previsões por região:

  • Leste Potiguar: 171,1 mm
  • Oeste Potiguar: 101,4 mm
  • Agreste Potiguar: 91 mm
  • Central Potiguar: 71,5 mm.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Volume de chuvas no Rio Grande do Norte supera expectativas em 34%, aponta Emparn



O Rio Grande do Norte experimentou, entre janeiro e abril deste ano, um volume de chuvas 34% acima do previsto para o período, revelou o Sistema de Monitoramento da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn).

Os dados, divulgados neste domingo (5) pela Emparn, após a conclusão das análises do mês de abril, apontam que nos primeiros quatro meses do ano, a média de precipitação foi de 643,8 milímetros, contrastando com a expectativa de 477,8 mm.

As regiões se destacaram com os maiores acumulados de chuva: o Oeste Potiguar, registrando 709,7 mm, seguido pela Central Potiguar com 658,1 mm, o Leste Potiguar com 650 mm e o Agreste Potiguar com 557,2 mm.

Abril: índices acima do esperado

O mês de abril encerrou com uma média de chuvas 17% superior ao esperado, conforme dados da Emparn. O estado registrou um volume acumulado de 194 mm, ultrapassando os 164,8 mm previstos.

A Emparn destacou que todas as regiões do Rio Grande do Norte apresentaram médias de chuvas acima do esperado, com ênfase nas regiões do Agreste, com volumes 36,6% superiores à média, e Leste Potiguar, com 25,7%.

As médias de chuva por região foram de 181,6 mm no Agreste Potiguar, 246,1 mm no Leste Potiguar, 194 mm no Oeste Potiguar e 154,2 mm no Central Potiguar.

O aumento significativo nas precipitações resultou na sangria de alguns açudes no interior do estado, incluindo o Açude Gargalheiras, que não atingia esse nível há 13 anos. Na capital Natal, o volume médio de chuvas em abril foi de 284,8 mm

Segundo Gilmar Bristot, chefe da unidade de Meteorologia da Emparn, a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCTI) foi o principal sistema meteorológico responsável pelas chuvas no período. Ele ressaltou que o aumento foi impulsionado pela ZCTI, “associado ao aquecimento do oceano Atlântico – com temperaturas entre 1ºC e 2°C acima da média – aumentando a umidade que avançou para o território e favoreceu a formação de nuvens de chuvas”, concluiu.

Maio: Perspectivas

A Emparn prevê a continuidade das chuvas em todo o território potiguar durante o mês de maio. O volume mínimo esperado para o estado é de 108,7 mm, com previsões por região:

  • Leste Potiguar: 171,1 mm
  • Oeste Potiguar: 101,4 mm
  • Agreste Potiguar: 91 mm
  • Central Potiguar: 71,5 mm.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos