Uma história do Palácio Felipe Camarão, endereço desejado por muitos



5 1 Avalie a Postagem
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Nosso passeio de hoje pela história visita o Palácio Felipe Camarão, sede da Prefeitura Municipal de Natal, para onde muitos almejam se mudar no próximo ano.

A construção do prédio da antiga Intendência Municipal, em sua primeira etapa, foi realizada após a demolição de um antigo casarão colonial de linhas simples. Nasceu ali a sede do poder executivo municipal, o Palácio Felipe Camarão, projetado e construído pelo italiano Miguel Micussi, nascido em 1870, na cidade de Udine.

Miguel Micussi serviu ao exército num batalhão de engenharia na Áustria, onde aprendeu a arte da construção civil. Muito jovem, veio para o Brasil, para Minas Gerais, e lá conheceu e se casou com Querubina. Depois, veio para nossa cidade, a escolhida para morar e viver até o fim de sua vida. Em Natal, Micussi fez várias construções públicas e privadas, dentre elas podemos enumerar as seguintes:

  • Sede da Liga Artístico-Operária, na avenida Rio Branco;
  • Sede do Hospital Varela Santiago, na avenida Deodoro da Fonseca (tombado pela Fundação José Augusto em 1992);
  • Coluna onde se encontra fixado o busto do padre João Maria, na praça de mesmo nome;
  • Residência da família Cícero de Souza, na esquina da avenida Prudente de Morais com a rua Potengi, local onde hoje encontra-se construído o Flat Potengi, no bairro Petrópolis;
  • Monumento dos Heróis da Revolução de 1817, na praça André de Albuquerque.

A inauguração do imponente Palácio Felipe Camarão foi realizada no dia 7 de setembro de 1922, durante as comemorações do Centenário da Independência do Brasil.

Na época governava o Estado do Rio Grande do Norte Antônio José de Melo e Souza, o presidente da Intendência Municipal era Teodósio Paiva. O contrato de construção fora firmado pelo Intendente Fortunato Aranha.

Certa vez, li um texto, que informava que no dia da inauguração do prédio da Prefeitura de Natal, 07 de setembro de 1922, Micussi não esteve presente, por estar cuidando do funeral de sua esposa. Segundo o texto ele teria morrido seis meses depois, em março de 1923. Seus filhos ficaram órfãos, sendo os três adotados por amigos da família, um deles foi adotado por D. Amélia Duarte (Viúva Machado).

Na primeira gestão da Prefeita Wilma de Faria, foi feita a recuperação do Palácio Felipe Camarão já desgastado pelos setenta anos da edificação. No dia 15 de setembro de 1992 o Palácio ficou todo o dia aberto à visitação pública, sendo realizada uma solenidade comemorativa, ocasião em que foi aposto o retrato de Miguel Micussi, com presença de Américo Micussi, filho do homenageado.

Aos visitantes foi distribuída uma plaqueta ilustrada, narrando a origem e a presença dos governantes que marcaram aquele espaço histórico da cidade.

Fonte: 400 Nomes de Natal.



O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte




Uma história do Palácio Felipe Camarão, endereço desejado por muitos





Nosso passeio de hoje pela história visita o Palácio Felipe Camarão, sede da Prefeitura Municipal de Natal, para onde muitos almejam se mudar no próximo ano.

A construção do prédio da antiga Intendência Municipal, em sua primeira etapa, foi realizada após a demolição de um antigo casarão colonial de linhas simples. Nasceu ali a sede do poder executivo municipal, o Palácio Felipe Camarão, projetado e construído pelo italiano Miguel Micussi, nascido em 1870, na cidade de Udine.

Miguel Micussi serviu ao exército num batalhão de engenharia na Áustria, onde aprendeu a arte da construção civil. Muito jovem, veio para o Brasil, para Minas Gerais, e lá conheceu e se casou com Querubina. Depois, veio para nossa cidade, a escolhida para morar e viver até o fim de sua vida. Em Natal, Micussi fez várias construções públicas e privadas, dentre elas podemos enumerar as seguintes:

  • Sede da Liga Artístico-Operária, na avenida Rio Branco;
  • Sede do Hospital Varela Santiago, na avenida Deodoro da Fonseca (tombado pela Fundação José Augusto em 1992);
  • Coluna onde se encontra fixado o busto do padre João Maria, na praça de mesmo nome;
  • Residência da família Cícero de Souza, na esquina da avenida Prudente de Morais com a rua Potengi, local onde hoje encontra-se construído o Flat Potengi, no bairro Petrópolis;
  • Monumento dos Heróis da Revolução de 1817, na praça André de Albuquerque.

A inauguração do imponente Palácio Felipe Camarão foi realizada no dia 7 de setembro de 1922, durante as comemorações do Centenário da Independência do Brasil.

Na época governava o Estado do Rio Grande do Norte Antônio José de Melo e Souza, o presidente da Intendência Municipal era Teodósio Paiva. O contrato de construção fora firmado pelo Intendente Fortunato Aranha.

Certa vez, li um texto, que informava que no dia da inauguração do prédio da Prefeitura de Natal, 07 de setembro de 1922, Micussi não esteve presente, por estar cuidando do funeral de sua esposa. Segundo o texto ele teria morrido seis meses depois, em março de 1923. Seus filhos ficaram órfãos, sendo os três adotados por amigos da família, um deles foi adotado por D. Amélia Duarte (Viúva Machado).

Na primeira gestão da Prefeita Wilma de Faria, foi feita a recuperação do Palácio Felipe Camarão já desgastado pelos setenta anos da edificação. No dia 15 de setembro de 1992 o Palácio ficou todo o dia aberto à visitação pública, sendo realizada uma solenidade comemorativa, ocasião em que foi aposto o retrato de Miguel Micussi, com presença de Américo Micussi, filho do homenageado.

Aos visitantes foi distribuída uma plaqueta ilustrada, narrando a origem e a presença dos governantes que marcaram aquele espaço histórico da cidade.

Fonte: 400 Nomes de Natal.

5 1 Avalie a Postagem
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos