Imagem Reprodução/Web

0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

Uma polêmica agitou as árvores de Riachuelo nas últimas semanas. A prefeitura, após retirar do centro da cidade algumas árvores conhecidas como da espécie Nim, recebeu denúncia no Instituto de Defesa do Meio Ambiente pelo serviço. A Prefeitura, no entanto, alegou que essa espécie tem causado muitos prejuízos não somente à própria cidade, mas a tantas outras do país que também optaram pela remoção.

Após os fatos apurados e denúncias julgados improcedentes, o IDEMA acatou a decisão em favor do município. O Instituto reforça que, apesar de ser uma árvore “bonita e frondosa”, ela é uma ameaça ao bioma natural da região, pois é tóxica. Os autos foram encaminhados para a Coordenadoria das Ações de Fiscalização com a sugestão de arquivamento.

O site da Prefeitura postou um documento ilustrativo explicando todo o caso, e, defendendo-se do caso, alegou ainda que foi vítima de fake news. De qualquer modo, a cidade não ficará carente de árvores; várias mudas de espécies nativas e frutíferas foram recebidas para que haja o replantio. A ação foi feita em parceria com o Projeto Arboriza Natal, da Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN).

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



Prefeitura de Riachuelo comemora decisão favorável do IDEMA sobre remoção de árvores do tipo Nim



Uma polêmica agitou as árvores de Riachuelo nas últimas semanas. A prefeitura, após retirar do centro da cidade algumas árvores conhecidas como da espécie Nim, recebeu denúncia no Instituto de Defesa do Meio Ambiente pelo serviço. A Prefeitura, no entanto, alegou que essa espécie tem causado muitos prejuízos não somente à própria cidade, mas a tantas outras do país que também optaram pela remoção.

Após os fatos apurados e denúncias julgados improcedentes, o IDEMA acatou a decisão em favor do município. O Instituto reforça que, apesar de ser uma árvore “bonita e frondosa”, ela é uma ameaça ao bioma natural da região, pois é tóxica. Os autos foram encaminhados para a Coordenadoria das Ações de Fiscalização com a sugestão de arquivamento.

O site da Prefeitura postou um documento ilustrativo explicando todo o caso, e, defendendo-se do caso, alegou ainda que foi vítima de fake news. De qualquer modo, a cidade não ficará carente de árvores; várias mudas de espécies nativas e frutíferas foram recebidas para que haja o replantio. A ação foi feita em parceria com o Projeto Arboriza Natal, da Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN).


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos