0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos

As fortes chuvas que assolam o estado do Rio Grande do Sul têm impactos além das áreas habitacionais e de infraestrutura. O Concurso Nacional Unificado (CNU), aguardado por milhares de candidatos, enfrenta desafios logísticos devido às adversidades climáticas. O governador do estado, Eduardo Leite, em entrevista concedida nesta quarta-feira (1º), declarou que a aplicação das provas está “inviabilizada” devido aos efeitos das intempéries na região.

O edital do CNU, prevendo situações extraordinárias como a atual no Rio Grande do Sul, contempla medidas para a garantia dos direitos dos candidatos afetados. De acordo com o item 11.16 do edital de abertura, os candidatos impactados por problemas logísticos durante a aplicação das provas podem solicitar a devolução do valor pago a título de taxa de inscrição em até cinco dias úteis após o dia da realização dos exames.

Dentre os problemas logísticos contemplados, estão fatores como desastres naturais que comprometam a infraestrutura do local, falta de energia elétrica que afete a visibilidade da prova, entre outros.

Em comunicado emitido na quarta-feira, o Ministério da Gestão e da Invação (MGI) afirmou que uma equipe está presente no local, mantendo diálogo com autoridades locais para acompanhar de perto a evolução da situação. O órgão não descarta possíveis mudanças na logística para a região atingida pelas chuvas.

Os temporais que castigam o Rio Grande do Sul já resultaram em graves consequências, incluindo perdas humanas e deslocamentos populacionais. Segundo dados da Defesa Civil do Estado, até o momento, dez pessoas perderam a vida e 21 estão desaparecidas. A devastação se estende por 107 municípios, com 1.431 pessoas desalojadas e 1.145 levadas para abrigos.

O governo local prioriza o resgate de famílias ilhadas e conta com o apoio federal para enfrentar a emergência. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assegurou auxílio do governo federal nas ações de socorro.

A previsão da Defesa Civil é de que as chuvas continuem intensas até a sexta-feira (3). Estradas bloqueadas, escolas danificadas e problemas no abastecimento de água, energia elétrica e comunicações são algumas das dificuldades enfrentadas pelas comunidades afetadas.

O Concurso Nacional Unificado está marcado para domingo (5), com provas previstas para a manhã e a tarde em diversas salas distribuídas por 228 municípios. Mais de 2,1 milhões de candidatos estão inscritos.

O Potengi

Portal de notícias e conteúdos do Rio Grande do Norte



CNU: governador do Rio Grande do Sul pede adiamento das provas



As fortes chuvas que assolam o estado do Rio Grande do Sul têm impactos além das áreas habitacionais e de infraestrutura. O Concurso Nacional Unificado (CNU), aguardado por milhares de candidatos, enfrenta desafios logísticos devido às adversidades climáticas. O governador do estado, Eduardo Leite, em entrevista concedida nesta quarta-feira (1º), declarou que a aplicação das provas está “inviabilizada” devido aos efeitos das intempéries na região.

O edital do CNU, prevendo situações extraordinárias como a atual no Rio Grande do Sul, contempla medidas para a garantia dos direitos dos candidatos afetados. De acordo com o item 11.16 do edital de abertura, os candidatos impactados por problemas logísticos durante a aplicação das provas podem solicitar a devolução do valor pago a título de taxa de inscrição em até cinco dias úteis após o dia da realização dos exames.

Dentre os problemas logísticos contemplados, estão fatores como desastres naturais que comprometam a infraestrutura do local, falta de energia elétrica que afete a visibilidade da prova, entre outros.

Em comunicado emitido na quarta-feira, o Ministério da Gestão e da Invação (MGI) afirmou que uma equipe está presente no local, mantendo diálogo com autoridades locais para acompanhar de perto a evolução da situação. O órgão não descarta possíveis mudanças na logística para a região atingida pelas chuvas.

Os temporais que castigam o Rio Grande do Sul já resultaram em graves consequências, incluindo perdas humanas e deslocamentos populacionais. Segundo dados da Defesa Civil do Estado, até o momento, dez pessoas perderam a vida e 21 estão desaparecidas. A devastação se estende por 107 municípios, com 1.431 pessoas desalojadas e 1.145 levadas para abrigos.

O governo local prioriza o resgate de famílias ilhadas e conta com o apoio federal para enfrentar a emergência. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assegurou auxílio do governo federal nas ações de socorro.

A previsão da Defesa Civil é de que as chuvas continuem intensas até a sexta-feira (3). Estradas bloqueadas, escolas danificadas e problemas no abastecimento de água, energia elétrica e comunicações são algumas das dificuldades enfrentadas pelas comunidades afetadas.

O Concurso Nacional Unificado está marcado para domingo (5), com provas previstas para a manhã e a tarde em diversas salas distribuídas por 228 municípios. Mais de 2,1 milhões de candidatos estão inscritos.


0 0 Avaliações
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos